Imprensa

10/04/2018

Pensar a sustentabilidade a longo prazo pauta reflexão do Meeting Empresarial da FIEMA Brasil

Com palestras de Clovis Tramontina, Antônio Joaquim de Oliveira e Oscar Motomura, encontro também debateu conceitos de ética nos negócios

 

Durante pouco mais de duas horas, cerca de 350 empresários, profissionais e lideres setoriais assistiram não só a uma aula sobre gestão – mas foram presenteados com valiosas lições de vida compartilhadas por três referendados e bem-sucedidos empreendedores com trajetórias nacionalmente reconhecidas. O 4º Meeting Empresarial da FIEMA Brasil reuniu Clovis Tramontina (presidente do Conselho de Administração da Tramontina), Antônio Joaquim de Oliveira (presidente da Duratex) e Oscar Motomura (Fundador e CEO do Grupo Amana-Key), refletindo sobre atitudes éticas e sustentáveis nos negócios a partir de suas experiências e vivências. A programação ocorreu na manhã de 10 de abril, no Parque de Eventos de Bento Gonçalves, abrindo a agenda de trabalhos da Feira de Negócios, Tecnologia e Conhecimento em Meio Ambiente.

O primeiro preceito colocado em pauta foi a necessidade de revisitar o conceito de sustentabilidade – em evidente processo de mudança e evolução, na opinião de Oscar Motomura. “O momento é de pensar as organizações a longo prazo e identificar o que é deve ser feito para assegurar que elas tenham vida longa. Tudo começa com o resgate de valores no país, sem os quais é impossível otimizar a economia”, sentenciou.

Essa visão passa pela adoção da ética – que é a escolha pelo bem comum, de todos os seres vivos – como guia para a tomada de decisões no dia a dia. “Na medida em que respeitamos todas as formas de vida, naturalmente somos levados ao conceito de integridade ecológica, de justiça social e econômica, a uma cultura de paz, de não violência, de inclusão e democracia. Esse é o real entendimento de sustentabilidade”, disse. Para os colegas de negócios, Motomura deixou uma recomendação: “Devemos equilibrar o agir com o parar para pensar sobre o que está acontecendo no mundo, o sentido de tudo. Essa reflexão, muitas vezes, leva a organização a guinadas vitais para sua sobrevivência”, recomendou.

 

Sustentabilidade é perenidade

É fato que as organizações precisam se reinventar, atualizando seus propósitos e alinhado sua atuação à evolução natural dos conceitos. A Duratex fez esse exercício – caminho detalhado por Antônio Joaquim de Oliveira em sua explanação durante o 4º Meeting Empresarial. “Nosso comitê de sustentabilidade avalia muito mais do que procedimentos ecologicamente recomendados. Ele estuda para onde a companhia deve ir e de que formas pode chegar a seus objetivos. Nosso crescimento parte de um processo de transformação da cultura da empresa porque entendemos que sustentabilidade também é perenidade, é preservar valores”, explicou.

Foi assim que a Duratex se engajou na missão de ser uma empresa que oferece soluções para melhor viver. “Utilizamos o conceito de sustentabilidade como alavanca de valor. Estamos semeando, para colher em breve, os frutos de uma crença que prega a atitude sustentável como caminho para geração de lucro e contabilização de ativos para a empresa”, revelou.

Com isso, a meta é que, no futuro próximo, 95% dos consumidores reconheçam os atributos de sustentabilidade associados à marca. “Queremos fortalecer relações com parceiros que usem valores próximos aos nossos. Desejamos ter clientes que sintam prazer em negociar conosco; colaboradores que se sintam bem trabalhando na companhia e consumidores que reconheçam e compactuem com nossos valores. Entendemos a sustentabilidade como importante fator para lastrear negócios”, disse.

 

Valorização do ser humano

Outro conceito unânime entre os conferencistas foi a importância de valorizar o ser humano nas organizações. “Na Tramontina, esse é o grande diferencial, sem dúvida alguma. Por isso temos colaboradores devotados à empresa, com brilho nos olhos. São pessoas que gostam de trabalhar e de estar na corporação. Elas estão satisfeitas e, portanto, atuam com afinco para que todos também fiquem satisfeitos ao utilizar os produtos e serviços da marca”, compartilhou Clovis Tramontina.

Esse é um dos pilares da ideia de sustentabilidade que o gestor defende: manter empregos bons, saudáveis, em um ambiente de trabalho positivo. A razão para essa crença é simples: é nas organizações que os colaboradores passam a maior parte do tempo. “As pessoas dedicam as melhores horas de sua vida às empresas. O ambiente de trabalho precisa ser ótimo”, observou.

 

Compreensão global do conceito sustentável

Cada vez mais relevante na longevidade dos negócios, o conceito de sustentabilidade debatido durante o Meeting Empresarial estendeu o entendimento desse preceito para além das práticas socioambientais – sendo essa reflexão sua principal contribuição junto ao público espectador. “Discutir a sustentabilidade de um negócio é refletir sobre as práticas necessárias para que as empresas tenham uma vida longa, saudável e rentável. É entender como essa forma de pensar impacta desde a escolha da nossa matéria-prima até a forma que lidamos com nossas equipes e nossos clientes. É refletir sobre nosso papel na sociedade, porque o mundo de hoje já não aceita o crescimento a qualquer custo. Precisamos ser sustentáveis para termos um mundo melhor”, ponderou a diretora da quarta edição do encontro, Maristela Cusin Longhi.

-

Compartilhe isto:


Galeria de Imagens

Comente esta Notícia
+55 (54) 3055.8700 / 99109.1113 / 99128.6149 - proamb@proamb.com.br

© Todos os Direitos Reservados 2013 | Fundação Proamb