Imprensa

18/07/2016

Sua empresa gera lodo?

O segmento industrial é um dos principais geradores de resíduos perigosos do planeta, na falta de um bom planejamento, pode causar sérios impactos ambientais independente da atividade desenvolvida.

Setores como o automobilístico, de utilidades domésticas e acessórios, típicos da Serra Gaúcha,  geram efluentes durante o processo de fabricação de seus produtos. Esse procedimento pode gerar lodo, derivado dos processos de galvanoplastia, cromação, niquelação, zincagem, e outros.

No final do processo, o lodo é, basicamente, a sobra do tratamento dos efluentes da empresa. É importante lembrar que o material, dependendo do processo industrial e da forma como foi tratado, representa riscos à saúde e ao meio ambiente.

 

Possibilidade de destinação: o que fazer com o lodo?

Podem ser enviados a Central de Disposição de resíduos que é uma das alternativas de melhor custo-benefício, visto que seu tratamento muitas vezes é oneroso.

O lodo pode ser considerado Classe I- Perigoso e Classe II – Não perigoso.

Ao destinar o resíduo para uma Central, é importante conhecer o fornecedor, afinal, conforme a legislação em vigor mesmo destinando o resíduo para uma central, o gerador é eternamente responsável. É importante verificar se ele possui alguns diferenciais, como:

•       células totalmente cobertas e impermeabilizadas (a célula coberta evita a geração de percolado);

•       sistema de proteção contra incêndio (sensores eletrônicos de fumaça, hidrantes e alarmes);

•       monitoramento por vídeo 24 horas.

 

Em caso de dúvidas sobre a destinação ou mesmo o processo de tratamento de efluentes, converse com nossos consultores através do 54 3055.8700, eles darão a orientação de como prosseguir.

-

Compartilhe isto:


Galeria de Imagens

Comente esta Notícia
+55 (54) 3055.8700 / 99109.1113 / 99128.6149 - proamb@proamb.com.br

© Todos os Direitos Reservados 2013 | Fundação Proamb